domingo, dezembro 25, 2005

Xhristmas time...

Ai está! Eis-nos chegados ao fim de mais um Natal da nossa vida... Hoje encontramo-nos com o doce nauseabundo dos inúmeros gramas que consumimos e com o enjoou psicológico das mensagens de boas festas, da simpatia exuberante, da atenção hipócrita e pontual pelos desfavorecidos (que apenas são lembrados nesta altura) e pela paciência Hulkeniana para ser agradável a todos os membros da nossa família... Conseguimos comer em dois dias a porção suficiente para 4 ou mais... Estamos convictos que vamos começar uma dieta rigorosíssima amanhã...mas não... Mas o saldo é sempre positivo! Enchemos a quarto/casa de "tarecos" que não servem para nada... Recebemos agradecimentos sentidos pelas prendas que demos, independentemente do grau de desilusão das pessoas... Renovámos votos de amizade com os nossos mais fiéis companheiros do dia-a-dia; Fortalecemos laços de amizade que durante um ano, passam pelo esquecimento;
Reconhecemos novamente que o Natal é apenas uma época de consumismo e oportunismo dos comerciantes;
Gastámos uma fortuna em presentes, gastronomia e artigos decorativos;
Mas o saldo é sempre positivo!

E como o ser humano gosta é de festa... vamos começar a preparar a passagem de ano!
Sim, porque o ano que vem é que vais ser fenomenal!
Pelo menos é o que dizemos ano após ano...
"O ano que vem é que vai ser!!"
Por isso a nossa felicidade é uma bola de neve...sempre a rolar e a aumentar o seu volume...

Peço desculpa por me ter ausentado dezoito dias consecutivos... Mas os deveres de Natal assim me obrigaram...

AH! E Feliz Natal!

3 Comments:

Anonymous Sal said...

Pois, de facto, Natal em vez de significar nascimento, hoje em dia significa endividamento...é triste mas é verdade, mesmo em crise o consumismo aumenta e atras dele outras coisas mais... no entanto, tentemos renascer cd dia, pra sermos melhores pessoas.

quarta-feira, dezembro 28, 2005 3:02:00 da tarde  
Blogger salete said...

desculpa mas tive de fazer um copy paste desta tua ultima «posta», pois eu penso e sinto o mesmo, e não tenho outras palavras para dizer o mesmo. Um bjo e Feliz Ano Novo

sábado, dezembro 31, 2005 9:53:00 da manhã  
Anonymous Sarah said...

Infelizmente, para muitos que andam a dormir, a felicidade é "uma bola de neve". Mas, repara, arriscar, tomar as simples decisões do dia-a-dia, como por exemplo, "será que telefono?", "será que atendo?", de fácil não tem nada. Sim, porque um simples telefonema pode mudar tudo. E a mudança, no mínimo arrepia.

É uma questão de opção. Há quem se sinta plenamente feliz vivendo no conforto de um quotidiano comodista. Afinal de contas, nada muda, tudo fica no mesmo lugar, os dias passam sem grandes discussões, sem grandes problemas... Tudo tranquilo. É uma opção, e para além de a respeitar, temos de recordar aqueles que davam tudo para ter isso: um lar pacato e caloroso.

Por outro lado, há aqueles que têm consciência de que tudo voa. Esses são, em regra geral, insatisfeitos por natureza! Querem viver tudo o que podem viver. Querem lutar mais e mais ainda. Querem agarrar tudo o que é deles. Chegam a ter medo de adormecer, receando não acordar. Gravam todos os momentos, todos os sorrisos, todos os olhares, porque têm noção da sua real importância. Vivem intensamente.

Estes, vivem por aqueles que simplesmente não o podem fazer, e por aqueles que patéticamente não o sabem fazer.

Haverá uma maneira "certa" de levar a vida? Uma receita especial para a felicidade?

Dou por mim a discursar sobre o belo tema da "vida", enquanto muitos antes de nascer, já estão condenados à "sobrevivência". Meditamos, ponderamos em demasia... os nossos problemas não são problemas.

É verdade que o Natal enjoa, farta de tanto "amor", "paz", "generosidade", etc.. É de facto pena, tal onda de afecto para o próximo só ocorrer nesta época do ano, mas... se pelo menos uma vez por ano, alguém se lembra, e algumas associações tentam "realmente" fazer qualquer coisa, não é melhor do que NADA, NUNCA?

Em vez de ficarmos parados e
apontarmos o dedo ao que realmente está errado, porque está errado, que tal arregaçar as mangas e contribuir um pouco? Não é preciso muito. Por vezes basta um "sorriso", o que na maior parte das vezes, porque estamos perdidos nos nossos pequenos problemas da vida moderna, não nos damos o trabalho de dar. "Não há paciência". O desdém é sem dúvida a atitude politicamente correcta. Fica sempre bem.

Tenho visto com alguma frequência o slogan: "O Natal é para todos?". Pergunta retórica. Que tal perguntar, ou melhor, passar a Afirmar: "A Vida é para todos."? Se é que isso pode fazer alguma diferença... o meu idealismo começa a duvidar.

O ser humano esqueceu-se há muito do que é ser "humano".

terça-feira, janeiro 24, 2006 7:01:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home